Mundo Giro

Posts Tagged ‘imaginação

O Verão é um excelente aliado para as crianças se desenvolverem física e cognitivamente, por ser sinónimo de sol e férias. Permite também que se baixe a guarda das rotinas diárias fazendo com que as crianças pareçam esponjas a absorver tudo o que as rodeia.

O resultado é visível: após o Verão, todas as crianças parecem ter crescido e apresentam-se “mais maduras”.

As férias são também óptimas para fortalecer os laços familiares, pois existe uma forte diminuição do stress, o que nos torna a todos mais tolerantes e dispostos a ensinar e a aprender.

Está provado que as crianças gostam de criar e conceber brincadeiras usando quase só o imaginário.

De facto, há brincadeiras muito Giras que não requerem um dispêndio de dinheiro e cujo efeito vai ser fantástico. Um dos locais prefeitos para isso acontecer é, sem dúvida, a praia.

Exemplos:

  1. Vão apanhar conchas bonitas pela praia. Após a recolha podem sentar-se na sombra do chapéu e tentem construir caras, caminhos, a planta de uma casa (como arquitectos), animais, etc.
  2. Apanhem um pau e deitem-se na areia: desafiem as crianças a fazerem os contornos dos corpos uns dos outros. Depois até os podem decorar com conchas, toalhas, peças de roupa que levem ou mesmo recorrendo ao pau e desenham mais coisas para enfeitar.
  3. Jogo do galo – também basta apenas um pau para este jogo. Para quem não se lembra: desenhem a grelha (duas linha paralelas na horizontal sobrepondo duas linhas paralelas na vertical) na areia e decidam que é o X ou a O. Já sabem que ganha quem fizer uma linha completa de X ou de O
  4. Podem fazer túneis, escavando a areia e um concurso de resistência das pontes ou das pontes mais bonitas
  5. Se as crianças forem mais crescidas e já souberem ler, podem jogar à forca.

Se quiserem recorrer aos brinquedos de compra, aí têm uma grande variedade de escolha e terão com certeza várias brincadeiras por onde escolher, mas também irão muito mais carregados para a praia.

Regra de ouro: não impor os jogos – deve ser algo descontraído e de livre vontade.

Como estamos a falar de praia, não posso terminar sem relembrar medidas preventivas e como proceder no caso de algumas situações ocorrerem:

http://www.ordemenfermeiros.pt/comunicacao/Documents/Noticias_apos_2011/Folheto_DMC_2011Amarelo.pdf

Acima de tudo divirtam-se e criem laços familiares, ainda mais fortes…. Vai ser Giro!

Tânia Sereno

Mundo Giro

Kid Spotter

Os jogos fazem parte do quotidiano de qualquer criança.
Quando isso não acontece, algo está errado, pois são muito importantes para a aprendizagem das crianças.

Através do jogo, a criança brinca, testa hipóteses, apreende algumas regras sociais, enriquece o desenvolvimento intelectual, aprende que ganhar ou perder faz parte da vida e desenvolve estratégias para enfrentar várias situações.

De acordo com Piaget,  “… os jogos não são apenas uma forma de desabafo ou entretenimento para gastar energias das crianças, mas meios que contribuem e enriquecem o desenvolvimento intelectual”. Além disso, “o jogo é um tipo de actividade particularmente poderosa para o exercício da vida social e da actividade construtiva da criança”.

Há vários tipos de jogos, como por exemplo os jogos tradicionais, jogos de tabuleiro, jogo simbólico, jogo de construção etc.
Ao contrário do que se possa pensar, nem todos os jogos necessitam de regras e/ou adversários, que obrigatoriamente tenham de culminar com um vencedor.
Hoje falaremos de um desses tipos de jogos que não necessitam de regras, mas que são muito importante para a criança – o jogo simbólico mais conhecido por Faz de Conta.

O jogo simbólico é o “teatro” do imaginário, a representação de como a criança vê e interpreta o que a rodeia. As suas características são: a liberdade de regras, o desenvolvimento da imaginação e fantasia, ausência de um objectivo específico e lógica própria.

Devemos incentivar este jogo, pois é muito importante para a construção do “eu” da personalidade da criança. Não devemos interromper por estar a fazer de conta que é uma menina ou coisas de menina se estiver a ser interpretado por um menino (ou vice-versa), porque é importante que deixem fluir a sua imaginação e que passem por todos os papéis. Pode inclusive ajudar no teatro, deixando a criança comandar.

É muito giro quando pedem para sermos filhos e eles os pais, e reflectem normalmente as nossas frases mais caricatas para os educar… este momento, também vos pode ajudar a ver onde há lacunas na educação ou até mesmo a verem se existe alguma situação de que a criança não fale mas que esteja a incomodar e a prejudicar de alguma forma.

Vamos deixar as crianças terem a sua liberdade de expressão. No fim, verá que além de ser cómico também será Giro envolver-se no seu imaginário.
Tânia Sereno
Mundo Giro
Kid Spotter @ On Spot Marketing

Quando se fala em histórias, quem não se lembra da frase: “Era uma vez”.

Essas histórias que nos faziam sonhar e estar sempre a pedir para as ouvirmos novamente, noites seguidas, vezes infindáveis que nunca chegaram sequer perto nos cansar.

Infelizmente, hoje em dia o facto de haver tanta falta de tempo fez com que a “hora da história” fique quase esquecida, sendo muitas vezes menosprezada no lufa-lufa das actividades quotidianas.
Nos dias que correm, poucas são as crianças que têm a sorte de ouvir histórias em casa com regularidade e ainda menos como um dos mais eficazes relaxantes antes do sono.

Os seus benefícios são imensos, já que através das histórias a criança desenvolve:

  • Linguagem (enriquece vocabulário);
  • Gosto pela leitura (ver os pais manusearem um livro desperta-lhes o interesse e curiosidade)
  • Pensamento;
  • Imaginação
  • Atenção e concentração;
  • Sensibilidade

Na minha opinião, as crianças familiarizadas com histórias revelam uma melhor preparação para o início da escolaridade obrigatória visto terem mais facilidade em aprender a ler, a escrever, a representar e inclusive a socializar.

Se tem dificuldade em se lembrar de histórias, use os livros como suporte.
Mesmo que não considere os que tem em casa sejam os mais adequados, use somente as imagens e crie a “vossa” história.
Se optar por comprar um livro mas não sabe qual o adequado ao vosso filho, há vários no mercado que são óptimos.

Sugestão: Pense num tema que queira alertar ou mensagem que queira transmitir ao seu filho, e escolha um que esteja relacionado esse tema.

Os mais frequentes estão relacionados com:

  • Quer que largue as fraldas
  • Birras
  • Não quer comer
  • Diferença entre o que está certo ou errado
  • Boas maneiras

Tenha sempre presente que quanto mais nova for a criança mais ilustrações e menos texto deve conter o livro.

Vamos recuperar as histórias e a hora do conto. Vai ser mesmo Giro!

Tânia Sereno
Mundo Giro
Kid Spotter @ On Spot Marketing


Imagine um Mundo Giro onde acontece uma feira de brinquedos entre miúdos, onde eles aprendem noções de valor?

É um projeto social, sem fins lucrativos, lúdico e sobretudo educativo.